Notícias

A Polícia Civil do Distrito Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (17) a operação que investiga o envolvimento de Médicos Veterinários em possível tráfico de anestésicos de uso Médico Veterinário, prendendo dois profissionais em Brasília. O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Distrito Federal foi solicitado pela 1ª Delegacia de Polícia no qual colaborou com as investigações e deu suporte técnico a operação, com a participação dos membros da Câmara Técnica de Pequenos Animais da entidade.

O CRMV-DF, como guardião do código de ética e do exercício da medicina veterinária no âmbito da Capital Federal, repudia tal conduta, e se necessário tomará as providências cabíveis previstas em lei.

 

Conselho Regional de Medicins Veterinária do Distrito Federal

O sistema CFMV/CRMV’s, assim como todo sistema de conselho de profissões regulamentadas tem em seu eixo principal a orientação, a regulamentação e a fiscalização do exercício profissional. E na manhã desta quarta-feira, o CFMV reforçou o trabalho de fiscalização do CRMV-DF com a doação de um veículo, modelo GM Vectra, ano 2010, que será usado para circular no Distrito Federal, proporcionando mais agilidade no trabalho dos fiscais.

O presidente do CFMV, Médico Veterinário Francisco Cavalcanti de Almeida, acompanhado do Tesoureiro da entidade e ex-presidente do CRMV-DF, Médico Veterinário Hélio Blume recebera, na sede da entidade, em Brasília, o presidente do CRMV-DF, Médico Veterinário Laurício Monteiro da Cruz e os fiscais, João Lúcio Alves e Antônia Erivanúzia Araújo Macêdo para a entrega do veículo.

doação de veículo1 doação de veículo2

Segundo Francisco, que sempre defendeu o fortalecimento dos conselhos regionais, o CFMV tinha dois veículos, mas avalia que um é o suficiente para atender as demandas da entidade. “É muito melhor pegar um veículo que está aqui parado e disponibilizar para um conselho melhorar a sua fiscalização, isso é fundamental. Não adianta você fazer a fiscalização, ter o programa e não ter o veículo para se deslocar.” Ele pontua que para o trabalho dos conselhos são necessários elementos para o trabalho e o veículo irá melhorar a fluidez do trabalho de fiscalização do CRMV-DF.

Por parte do CRMV-DF, Laurício recebeu a doação como fundamental para o aperfeiçoamento do trabalho da entidade. “A doação chega para fortalecer as atividades do conselho, que são inúmeras e é claro que um automóvel vai ser direcionado para a fiscalização”. Reitera o presidente do CRMV-DF que agora tem novas expectativas para o trabalho dos fiscais que tem a sua mobilidade melhorada.

A fiscalização do CRMV-DF faz parte de uma tríade que consiste na orientação profissional, regulamentação e fiscalização do exercício profissional. A entidade vem trabalhando com o objetivo de desenvolver estes três eixos com igualdade em benefício da sociedade do Distrito Federal.

Assessoria de Comunicação do CRMV-DF

 

A Faciplac iniciou na manhã de ontem (14) a 20ª Semana Acadêmica da Medicina Veterinária da Faciplac. Na ocasião o presidente do CRMV-DF representou a entidade, compondo a mesa de abertura e em seguida proferindo uma palestra sob o seguinte título “Vigilância de Epizootias em Primatas não Humanos e Entomologia aplicada a Vigilância da Febre Amarela.”

Também participaram da mesa de abertura a coordenadora do curso de Medicina Veterinária e da semana acadêmica professora doutora Daniela Ribeiro Guimarães Mendes, do Presidente do Diretório Acadêmico de Medicina Veterinária, aluno Derik Willian Fernandes Marinho e da Vice-presidente aluna Vitória Luciano Dantas.

Laurício Faciplac Sem Acad Laurício

Em seu discurso, Laurício destacou a importância do trabalho realizado pelos idealizadores da primeira edição do evento, que eram seus colegas, inclusive. “Os primeiros alunos a fazer foram heróis e sonhadores que percebendo a possibilidade de se transformar algo numa realidade palpável, idealizaram e concretizaram essa primeira Semana. E, por felicidade nossa, foram meus amigos.” Exaltou o presidente do CRMV-DF.

Ele parabenizou também o aniversário de 20 anos da Medicina Veterinária da Faculdade. “Quero também parabenizar a medicina veterinária das FACIPLAC que esse ano fez 20 anos de existência e muito conhecimento entregue a Brasília, ao Brasil e ao mundo.” Se referindo a muito de seus alunos que hoje se espalharam, não só pelo país, mas pelo mundo.

Laurício finalizou a sua participação desejando sucesso para o presente e para o futuro. “Quero desejar a todos você um presente e um futuro brilhante para as médicas e médicos veterinários. É necessário que nós possamos parar, pensar e repensar e fazer reflexão do profissional que queremos ser da Medicina Veterinária, obedecendo o nosso Código de Ética e a legislação brasileira.” Refletiu sobre a importância de eventos como este para o aperfeiçoamento profissional.

Assessoria de Comunicação Social do CRMV-DF

A fiscalização do sistema CFMV/CRMVs faz parte de três grandes eixos que guiam as funções institucionais das entidades, que tem como função regulamentar a profissão, orientar os profissionais e fiscalizar o exercício da Medicina Veterinária e Zootecnia nos respectivos estados. Sabendo disso o CRMV-DF pretende colaborar com a fiscalização do sistema, participando da Comissão Nacional de Fiscalização do CFMV, com o seu Tesoureiro e Zootecnista Emanoel Elzo Leal de Barros. A posse dos membros se deu na quinta-feira (10), na sede do CFMV em Brasília.

Quem preside a comissão é o médico veterinário José Pedro Soares Martins, e os demais componentes são os também médicos veterinários, Fernando Rodrigo Zacch, Virgínia Teixeira do Carmo Martins, Raimundo Alves Barreto Júnior, Odemilson Donizete Mossero e o Zootecnista Emanoel Elzo Leal de Barros.

Na ocasião da posse, aproveitaram e realizaram a primeira reunião do grupo que se estendeu até o dia 11.

comissão de fiscalização

A Comissão Nacional de Fiscalização foi criada em março de 2015 e a atual gestão do CFMV a reformulou, convidando novos membros. Segundo José Pedro, agora tivemos uma mudança na formação do grupo, já que anteriormente participavam apenas servidores dos conselhos regionais que estavam envolvidos com o trabalho da fiscalização. A nova formação trouxe diretores e conselheiros das entidades. “Essa nova conformação eu a avalio como altamente positiva porque nós vamos ter o respaldo dos diretores na melhor condução das demandas da comissão”. Avaliou José Pedro, presidente da comissão.

O representante da zootecnia no grupo, também avalia como positiva a nova formação, já que a anterior não contava com um zootecnista. “Essa comissão tem uma grande importância no sistema, porque talvez seja a ‘mola mestra’ dos conselhos que é a fiscalização”. Segundo Emanoel a ideia é padronizar os Procedimentos Operacionais Padrão – POPs para que o trabalho seja igual em todos os conselhos.

Ele destaca a importância da zootecnia inserida no trabalho da comissão, já que a profissão tem uma participação significante na área de produção animal. “Nos autos de fiscalização não estão sendo citadas a lei 5.550/68. Como eu fiscalizo se eu não cito esta lei? Nós queremos ser fiscalizados, nós queremos exercer nossa profissão de maneira digna, conforme preconiza a legislação. ” Explica Emanoel, representante do CRMV-DF, da Associação Brasileira de Zootecnistas – ABZ e da Associação de Zootecnistas do Distrito Federal – AZOODF.

A Comissão Nacional de Fiscalização do CFMV reúne profissionais de variados conselhos regionais, com servidores e diretores buscando aprimorar os procedimentos de trabalho dos fiscais, para que trabalhem alinhados com a legislação e aos médicos veterinários e zootecnistas do país.

Assessoria de Comunicação Social do CRMV-DF

O CRMV-DF recebeu na manhã desta quarta-feira (09) a visita do Secretário Nacional de Defesa Agropecuária, Luiz Eduardo Pacifici Rangel, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA, em sua sede, em Brasília. O presidente do CRMV-DF, Méd. Vet. Laurício Monteiro da Cruz recepcionou os convidados, junto a seus aos diretores, Secretário-Geral Roberto Gomes Carneiro Carneiro e o Tesoureiro Emanoel Elzo Leal de Barros.

No encontro também participaram os presidentes das Câmaras Técnicas, o Med. Vet. Cássio Ricardo Ribeiro - Bem-Estar Animal; Méd. Vet. Carlos Henrique Câmara Saquetti - Equinos; Méd. Vet. Rafael Silva de Souza - Pequenos Animais; Méd. Vet. Luiza Helena Rocha da Silva - Animais Selvagens; e Méd. Vet. Francisco Anilton Alves Araújo - Saúde Pública.

   todos2  mesa

 

Na pauta da reunião, a proposta de um trabalho interinstitucional permanente entre o CRMV-DF e a SDA/MAPA. Lauricio enfatizou a importância do trabalho em conjunto com o Sistema CFMV/CRMV e a SDA/MAPA, em prol da proteção da sociedade, da saúde animal, da conservação do meio ambiente e a valorização do médico veterinário e do zootecnista. O contexto universal da Saúde Única.

Além disso, trataram sobre os controles de Antimicrobianos e o de Medicamentos de uso Médico Veterinário; o projeto “Nova Defesa Agropecuária” do MAPA; e a regulamentação de assuntos inerentes as profissões, que algumas vezes carecem de pareceres técnicos de profissionais.

Inicialmente o Secretário Luís Rangel tratou da questão do receituário Médico Veterinário e esclareceu que ainda há o que se disciplinar. “Eu acho que ainda temos liberdade para discutir este assunto sem ruídos de outras instituições.”

Em seguida o Secretário esclareceu a posição do MAPA a respeito da criação de normas inerentes a atuação dos profissionais. “A construção de normas que vão no sentido de fortalecer o Méd. Vet. como autoridade que faz o diagnóstico, que faz a recomendação terapêutica ou de produção está na minha mão, mas eu preciso ser provocado para eu dar encaminhamento na medida que vocês me derem subsídios”. Pontuou a necessidade de pareceres técnicos profissionais para legitimar os pedidos perante o órgão.

O projeto Nova Defesa Agropecuária

Na oportunidade da visita Luís Rangel divulgou o trabalho do MAPA no sentido de modernizar a Defesa Agropecuária do órgão, por meio de um projeto chamado “Nova Defesa Agropecuária”. Trata-se da construção de um arcabouço legal moderno, de modo a atualizar as normas vigentes que são bastante antigas. “O setor público não dá conta de abarcar o modelo desenvolvido na década de 70. Há quanto tempo tentamos realizar um concurso? Quando conseguimos são poucas as vagas. ‘Um sonrizal no oceano’” E complementa que a quantidade de profissionais contratados é pequena e insuficiente para a demanda do órgão.

O projeto tem como objetivo modernizar o trabalho da Inspeção como muitas entidades de classe.

Por sua vez, o presidente do CRMV-DF, Laurício Monteiro da Cruz, deixou clara a posição da entidade em participar das discussões para colaborar com o aperfeiçoamento das normas inerentes aos profissionais Médicos Veterinários e Zootecnistas do Distrito Federal.

todos

 

 

Assessoria de Comunicação Social do CRMV-DF