Notícias

É com grande satisfação que a Secretaria de Aquicultura e Pesca (SAP/MAPA) realiza o I Workshop Nacional de Ordenamento da Aquicultura Ornamental, em parceria com o SEBRAE Nacional.

O evento acontecerá em Brasília, nos dias 11 e 12 de dezembro. A ideia é debater as principais dificuldades e perspectivas para a aquicultura ornamental. O objetivo é promover o ordenamento da cadeia produtiva dos organismos aquáticos ornamentais no Brasil.

Será transmitido ao vivo pelo SEBRAE, com link de transmissão disponibilizado nos sites do MAPA e do SEBRAE.

Transmissão:

11/12: https://youtu.be/FJqNvxEuTOw

12/12: https://youtu.be/5vl1VgjL0qY

 

Fonte: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Com o compromisso “Inovação e Transparência”, a atual gestão do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) vem investindo em tecnologia da informação desde que assumiu a autarquia e agora lança a versão web do Sistema de Cadastro de Profissionais e Empresas (Siscad Web) totalmente adaptado e acessível para dispositivos móveis, como smartphones e tablets, e com a funcionalidade de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) integrada.

Além de correções de infraestrutura e melhorias de rotinas de segurança, a solução web permite que médicos-veterinários, zootecnistas, empresas e sociedade acessem os serviços digitais do Sistema CFMV/CRMVs pelo celular, contando com a facilidade do aplicativo (app) disponível para download nas lojas oficiais da Google Play (Android) e da App Store (iOS).

“Desenvolvemos uma solução digital de gestão integrada, com elevados requisitos de segurança, integridade, inviolabilidade e confiabilidade, que facilite a identificação e o atendimento aos profissionais, visando fortalecer a imagem institucional e o posicionamento do CFMV perante a sociedade”, afirma o presidente do CFMV, Francisco Cavalcanti.

Com navegação intuitiva e simplificada, o aplicativo possui duas áreas de acesso. A de utilidade pública está disponível para toda a sociedade e permite consultar os médicos-veterinários e os zootecnistas inscritos no Sistema CFMV/CRMVs, bem como as empresas registradas e o responsável técnico. Ainda possibilita emitir e validar certidão, pesquisar legislações relacionadas às profissões, e acessar as redes sociais do Conselho Federal.

Profissionais e empresas

Junto com o aplicativo, a área restrita aos profissionais e empresas ganha duas funcionalidades: a inclusão de geolocalização e a opção de gerar e imprimir boletos. No espaço privado, o profissional ainda visualiza e atualiza as informações de cadastro, de formação e de área atuação. Também verifica suas inscrições primária e secundárias, as pendências financeiras e emite certidão negativa.

“Os profissionais agora têm nas mãos uma ferramenta ágil para atualizar constantemente seus dados e acessar serviços apenas usando um smartphone”, diz o presidente.

O ambiente reservado está disponível para profissionais e empresas cadastrados nos CRMVs, com exceção de Minas Gerais, que usa aplicação própria e não está integrada ao sistema do Conselho Federal.

Nova ART

A versão mobile também chega para agilizar processos de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART). Com o aplicativo, o profissional tem condições de gerenciar suas ARTs pelo celular, verificar validade, emitir ficha e boleto. É possível também iniciar uma nova ART, que será avaliada pelo CRMV, preenchendo os dados e seguindo o passo a passo até aceitar os termos da Resolução nº 1.228/2018.

Cada ficha de ART terá um código QR Code com criptografia imune à fraude. “Essa codificação vai simplificar a fiscalização dos estabelecimentos, permitindo que qualquer cidadão com um celular na mão verifique se a ART está homologada e a autenticidade dos dados do responsável técnico”, assegura o diretor de Tecnologia da Informação, Marcos Paulo Del Fiaco.

Fonte: Assessoria de Comunicação do CFMV

UniCEUB realiza seu I Simpósio de Bovinocultura de Leite, no dia (23/nov), no Campus Asa Norte. O evento contou com presença dos palestrantes o Méd. Vet, Carlos Frederico (EMBRAPA CTZL), Muriel Guedes (EMATER-DF), Nathália Jesus (Fazenda Asa Branca) e os Zootecnistas Cássio José (UnB), Maximiliano Cardoso (EMATER-DF), Emanoel Barros (UniCEUB), além da nutricionista Fernanda Rocha (Clínica Ped Care).

Também participaram o senhor Carlos Ferreira Júnior (Superintendência  Federal de Agricultura do DF), Danielle Araújo (Secretaria de Agricultura do DF) e Geraldo Borges (ABRALEITE).

O seminário abordou questões sobre leite A2A2, nutrição animal de precisão e nutrição animal e qualidade de leite.

O Grupo de Estudos em Bovinos (GEBOV) coordenado pelo professor, Méd. Vet. Cristiano Rosa e a Coordenação do Curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário de Brasília do UniCEUB, realizaram o evento.

Uniceub Leite1

 

Médicos-Veterinários, fiquem atentos. O Código de Ética (Resolução nº 1138/2016) não permite que sejam veiculados em meios de comunicação de massa, tais como, Rádio, TV, Jornais, Revista e Internet, promoção de serviços médicos-veterinários. Evite transtornos. Se ainda ficar em dúvida, consulte nossa assessoria técnica pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelo telefone 3223-5802.

Veja a transcrição dos artigos 14 e 15:

Art. 14. É vedado ao médico veterinário veicular em meios de comunicação

de massa e em redes sociais os preços e as formas de pagamento de seus serviços.

Manual de Legislação do Sistema CFMV/CRMVs

Art. 15. É vedado ao médico veterinário divulgar os seus serviços como

gratuitos ou com valores promocionais.

 

O consumo de pescados tem aumentado nos últimos anos em nosso país, e na capital federal não é diferente, o brasiliense tem consumido cerca de 14kg por habitante, enquanto a média nacional é de 9kg, segundo a Emater-DF. Em busca de atender este público, a Secretaria de Agricultura do DF, desenvolve diversas ações para o fomento da piscicultura no DF e RIDE. Com foco nos pequenos produtores e produtores familiares, destacam-se a produção e comercialização de alevinos com alta qualidade genética a preço subsidiado; treinamentos e capacitação em piscicultura além de incentivo à pesquisa e difusão de tecnologias.

Quem coordena o trabalho é o Médico Veterinário Ângelo Augusto Procópio Costa, ele é o Gerente de Tecnologia Agropecuária da Granja Modelo do Ipê. Ele trabalha junto a sua equipe, a Médica Veterinária, Cláudia Alessandra Gomes e os Zootecnistas, Lincoln Nunes Oliveira e Joaquim Fernando Nunes Araújo. Ele explica que o Centro de Piscicultura seria uma alternativa ao produtor da região, em meados dos anos 2000, aproximadamente, para produção de alimentos para os moradores da região. 

ipe2 

Segundo Ângelo, hoje a granja trabalha com incentivo da piscicultura, produção de alevinos e capacitação do produtor. “No caso dos alevinos, nós trabalhamos com uma linhagem melhorada geneticamente de tilápia chamada “GIFT” (Genetic Improvement of Farmed Tilapia)” Em tradução livre significa “Melhoria Genética de Tilápias Cultivadas”. O Médico Veterinário explica que, inicialmente o trabalho melhoramento genético da espécie foi realizado por um grupo de empresários da Malásia, que queria tornar este peixe uma base para desenvolvimento social naquela região, com fim social, desde a década de 90. Depois uma empresa norueguesa adquiriu a patente desta família de tilápia e atualmente temos no Brasil a Universidade Federal de Maringá-PR, que faz este trabalho de melhoramento genético e tem convênio com a SEAGRI-DF.

Na granja não é feito o trabalho de melhoramento genético da tilápia, mas trabalha em parceria em estudos e pesquisas.

A unidade tem convênios diversos, relata Ângelo: “Já tivemos experimentos para uma tese de doutorado do Canadá, uma outra da Universidade Católica do Chile, várias teses de mestrado e doutorado da UnB e na UFMG. Mas não para por aí, o trabalho também é realizado com o desenvolvimento de tecnologia, como SEBRAE, SENAC, SENAR, entre outros”. Explica o coordenador.

O Centro de Piscicultura do DF trabalha hoje no desenvolvimento de pacotes tecnológicos de criação, sistemas de criação voltados para a nossa região e agora estão desenvolvendo alguns sistemas de recirculação de água, devido a característica da nossa região, além do trabalho de nutrição dos peixes.

Mercado de Brasília

Cerca de 80% do pescado consumido na capital federal é importado de outros estados ou de outros países, enquanto a produção local gira em torno de 1500 tonelada.

Para incentivar o produtor local, os alevinos são reproduzidos e vendidos pela Granja do Ipê a preço abaixo do mercado a produtores da região. Hoje um milheiro da tilápia Gift custa R$ 40,00.

Formação de produtores

O Centro de Piscicultura da Granja do Ipê desenvolve vários cursos, em média de 12 por ano, não só para animais para consumo, mas também espécies ornamentais, como carpas. Os cursos variam e de modo geral são voltados para a reprodução de peixes nativos, como o surubim, matrixã, piáu, curimatã.

Em 2019 foram capacitados 272 pessoas em 11 cursos. Já o atendimento aos produtores foram de 122 produtores que receberam 222.250 alevinos.

Próximos cursos

Ainda este mês haverá mais um curso, nos dias 26 e 27 de novembro, sobre “Produção e Reprodução de Lambari” e o último de 2019 será no próximo mês, de 10 a 11 de dezembro sobre, “Reprodução de Apicultura e Alevinagem de Peixes Nativos.” Aos interessados em participar da formação deve observar a agenda para 2020 que estará disponível no mês de dezembro, no site da Secretaria de Agricultura do DF e os interessados deverão entrar em contato diretamente com a Granja do Ipê pelos telefones 3380-3112 /3380-3559 ou por e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

O curso é aberto ao público geral, produtores, curiosos, empresários, estudantes, médicos veterinários, engenheiros de pesca. Muitos têm xácara e buscam produzir em suas propriedades.

Assessoria de Comunicação Social do CRMV-DF, com informações da Seagri-DF e do Anuário 2019 da Peixes BR.

20 de novembro de 2019