A gestão dirigida pelo Médico Veterinário Laurício Monteiro da Cruz, almeja aproximar o CRMV-DF dos profissionais e das entidades que reúnem Médicos Veterinários e Zootecnistas, no Distrito Federal. Semana passada, em conversa com o presidente da Anclivepa Brasil, Med. Vet. Marcello Rodrigues da Roza, ambos concordaram sobre a importância do trabalho conjunto entre as entidades.

Na ocasião, Marcello Roza falou sobre as expectativas da entidade sobre o trabalho que pode ser feito entre as entidades. “As demandas são inúmeras e acredito que seja muito importante que sejam escutados, os clínicos. E a Anclivepa é a entidade que representa os clínicos. A presidente da Anclivepa DF também está aqui, a Brasil está aqui para dar apoio. Nós também, não temos apenas as nossa demandas, mas também temos condições de ajudar o conselho no sentido de ser a voz do clínico, das reais necessidades do clínicos veterinários e o Conselho poder melhorar a sua área de atuação nessa área.” Explicou Marcello.

Anclivepa e CRMV DF

Ele destacou a importância da fiscalização para manter os estabelecimentos Médicos Veterinários no padrão exigido pelo Sistema do CFMV/CRMV’s. “Que seja ativo no sentido de proibir o atendimento Médico Veterinário em estabelecimentos que não sejam, como em lojas, balcões. Isso é muito ruim, para a sociedade, para a profissão, para os animais.” E completou, “A fiscalização seja efetiva em todos os níveis, tanto nos estabelecimentos Médicos Veterinários, para que eles tenham um padrão, quanto nos que não estiverem adequados para que se coíba e isso deixe de acontecer”. Justificou o Marcello o seu entendimento sobre a ação da fiscalização do CRMV-DF.

O presidente da Anclivepa Brasil, também ressaltou a participação do Conselho na regulamentações importantes para a Medicina Veterinária. “Por exemplo, nós não temos hoje uma política da prescrição de antibióticos veterinários. É importante que os órgãos responsáveis por esta regulamentação, sejam instados a agir, a criar normas e que nós também possamos participar da elaboração destas normas.” Defendeu Marcello.

No encontro entre os presidentes, no dia 2 de fevereiro, na sede do CRMV-DF, Laurício colocou-se à disposição para o diálogo, nos mais variamos âmbitos e colocou à disposição a entidade para apoio, e para o que estiver ao alcance do CRMV-DF, tanto para a Anclivepa Brasil, como para a Anclivepa DF.

Fonte: Assessoria de Comunicação do CRMV-DF