A primeira etapa da campanha de vacinação obrigatória contra febre aftosa iniciou nesta terça-feira (1º/5) no Brasil. Até 31 de maio, deverão ser vacinados 200 milhões de cabeças de bovinos e búfalos, de todas as faixas etárias, de grande parte dos estados brasileiros, além do Distrito Federal.

Em três estados do país, a vacinação contra a febre aftosa tem um calendário diferenciado. Santa Catarina é o único estado sem a obrigação, por já ser livre de febre aftosa “sem vacinação”. O estado foi a primeira zona livre de febre aftosa “sem vacinação” no Brasil reconhecida pela OIE.

No Amazonas, a campanha começou em 15 de março. Em Roraima e Rondônia, começou nos dias 1º e 15 de abril, respectivamente.

Essa diferenciação nas datas ocorre de acordo com as condições climáticas e de sistemas de produção nessas localidades. Nos estados do Acre, Espírito Santo e Paraná, somente serão vacinados os animais com até 24 meses.

Na segunda etapa da campanha, em novembro, a maioria dos estados também passará a imunizar os animais com essa idade, de acordo com o calendário oficial.

Vacinação

A vacinação é obrigatória para todo o rebanho e os criadores que não cumprirem a obrigação podem ser autuados e multados. O produtor também fica impedido de comercializar, enquanto não regularizar a situação. O criador que, eventualmente, observar algum tipo de lesão vesicular ou animais babando e mancando (suspeita de febre aftosa) deve comunicar imediatamente o serviço veterinário oficial.

Se os auditores fiscais constatarem que o rebanho não foi vacinado, o produtor poderá responder um processo. O atraso na comunicação implica na impossibilidade de emissão da Guia de Trânsito Animal (GTA), por um período mínimo de 30 dias.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social do CFMV