Para exercer um cargo de liderança, presume-se que sejam necessárias várias virtudes, como pró-atividade, capacidade de gerir ideias e ações. Algumas pessoas têm essa característica natural, e por onde passam demonstram inquietude diante de acontecimentos e logo propõem algo que poderia ser feito. Assim acontece com as Médicas Veterinárias Waleska Coelho Sajnovich Gouveia, Secretária-Geral do CRMV-DF, Andrea Moraes Carneiro, conselheira do CRMV-DF e Presidente da Anclivepa-DF e a Dra Marina Zimmermann, presidente da Câmara Técnica de Educação do CRMV-DF.

Compondo a Diretoria Executiva da entidade, Waleska diz que o seu trabalho na entidade é respeitado. “No âmbito do CRMV DF atualmente, pude perceber como temos tido uma expressiva e atuante representação feminina. Nessa nova experiência, pude me sentir respeitada como mulher e sempre tive meu direito de fala garantido pelos argumentos técnicos que venho trazendo. ” Explica a diretora. Mas não é em todo lugar, ela diz que no meio agropecuário teve que se impor muito.

“Fico feliz de compor uma diretoria que hoje tem esse entendimento. Mesmo assim como médica veterinária atuante nunca me esqueço das palavras de Simone de Beauvoir ‘nunca se esqueça que basta uma crise política, econômica ou religiosa para que os direitos das mulheres sejam questionados. Esses direitos não são permanentes. Você terá que manter-se vigilante durante toda vida". Finaliza.

No caso da presidente da Anclivepa-DF, Andrea relata que sua inquietação motivou sobre questionamentos e acontecimentos a sua volta, o que proporcionou seu desenvolvimento pessoal e profissional. “Sempre tive inquietação, queria falar, participar, propor. No início da minha carreira profissional, logo busquei empreender” Explica Andrea que o fato de ser mulher, em nada mudou a sua trajetória profissional. “Tive a companhia da minha família, bons amigos ao redor que me incentivaram e auxiliaram a tomar decisões importantes”. Completa.

Ela assumiu a gestão da Anclivepa-DF com a responsabilidade de realizar o Congresso Brasileiro da Anclivepa – CBA, evento bastante conhecido nacionalmente. Para ela é desafiador e estimulador assumir uma responsabilidade como esta. “Eu nunca busquei estas colocações, recebi convites, tanto na Anclivepa-DF como no Conselho. Hoje vejo que estes desafios me possibilitaram descobrir novas habilidades” reporta Andrea.

Na área de educação, a conselheira e presidente da Câmara Técnica de Educação, Marina Zimermann explica que a sua trajetória na entidade também começou a partir de um convite para participar, mas com o desenvolvimento do trabalho, percebeu que estava no lugar certo. O grupo é homogêneo e o ambiente é de total respeito, independente do gênero.

Ela explica que o CRMV-DF, atualmente está defendendo uma bandeira muito importante que é a questão da proibição dos cursos a distância na Medicina Veterinária. Marina e os demais membros da entidade entendem que o curso não pode ser realizado a distância e que muita coisa ainda deve ser discutida. “Essa é mais uma bandeira que estamos levando, essa questão da educação, para manter a qualidade do ensino e conseguir ser uma interlocutora da Câmara de Educação e do Conselho para o DF”.

Sobre ser mulher em um ambiente que já foi tachado de masculino ela reporta a importância de ocupar um espaço de representação. “Acho que é uma missão representar este grupo e ser mulher dentro dele. Hoje nós já somos a maioria. Durante um longo tempo a gente precisou provar que era capaz, como por exemplo na hora de conter um boi ou um equino, fazer contenção, entre outros. Mas hoje eu acho que além de termos conseguido mostrar esta nossa capacidade física, a capacidade intelectual da mulher também é bem vista, nós conseguimos nos sobressair, sem dúvida.” Justifica a sua participação na Câmara de Educação e do Conselho.

Sob pontos de vista diferentes ou apenas por vivenciar experiências diferentes de vida e de profissão, as representantes do CRMV-DF convergem quando o assunto é promover o bem-estar animal e trabalhar por uma medicina veterinária e zootecnia forte em todos os ramos que as profissões alcançam.

 

Ascom - CRMV-DF

31 de março de 2019