Os seres humanos, como alguns animais, são sociais e conseguem se organizar o convívio entre sí, de forma bastante complexa. Entre as formas de se organizar, podemos observar a reunião de pessoas de uma mesma profissão e a Zootecnia não fica de fora. E no dia 13 de maio de 2019, podemos refletir sobre o futuro dos colegas junto ao Zootecnista Guilherme José de Carvalho, um dos fundadores do CRMV-DF.

Guilherme José de Carvalho

Em 2003, quando a entidade foi instituída pela lei 10.673/2003, alguns colegas se reuniram e fizeram um chamamento para compor uma chapa e a Azoo-DF fez uma reunião e indicou o Guilherme para compor a chapa eleita para a primeira gestão, no cargo de Tesoureiro do CRMV-DF. Também participou da segunda gestão da entidade, com os diretores reeleitos.

Como agente político, Guilherme sempre gostou de participar de atividades associativas e com papel de liderança. “Na vizinhança onde vivo, participo de atividades pastorais da minha igreja, na época de estudante também era ativo nos grupos, presidente de associação de moradores. E logo que me formei, que vim para Brasília eu participei da criação da Azoo-DF e sempre tive envolvido com movimentos associativos.” Explicou o Zootecnista sobre a sua vocação de liderança.

Ele explica que gosta de participar de movimentos associativos e de política, mas ele prefere estar com a “mão na massa”. Segundo Guilherme, “Eu tenho uma preocupação social muito grande com o meio onde estou, mas se você perguntar com o que eu gosto de trabalhar, eu gosto é de estar com a mão na massa, de estar com os animais. Eu tenho uma foto que tirei recentemente, que estou com um bovino, que ele chegou perto de mim, abaixou a cabeça, para mim vai ficar como um foto antológica. O meu grande prazer é estar com os animais.” Declarou Guilherme sobre o que mais gosta de fazer.

guilherme2

Ele nasceu no Rio de Janeiro mas veio morar em Brasília aos 12 anos de idade e conheceu a Zootecnia pela vontade que tinha de trabalhar em contato com os animais. “Quando eu alcancei a idade de fazer vestibular, não conhecia a zootecnia, como muitas pessoas não conhecem, alguns colegas que foram estudar na Escola Superior de Ciências Agrárias, em Rio Verde-GO, me falaram da profissão e eu me interessei. Fui estudar lá. Até hoje, tudo que tenho e sou é fruto do trabalho na área de zootecnia”, explicou Guilherme.

O zootecnista relata que a sua primeira atividade profissional, não remunerada, no Rio de Janeiro, chamada Barão de Juparanã, com bovinocultura de leite, mas o primeiro emprego veio logo depois em uma fazenda em Pirapora e lá foi o seu primeiro emprego como zootecnista. Como a distância da família e de sua namorada (hoje sua esposa) começou a pesar, voltou para Brasília foi trabalhar em uma empresa chamada RuralPlan, de planejamento Agropecuário. “A empresa era muito legal, me ensinou muita coisa. Durante um tempo eu trabalhei com vistoria de investimentos e custeios, mas esta empresa passou em minha vida e logo depois eu fui trabalhar na antiga empresa ‘Só Frango’, hoje chamada de Asa Alimentos, responsável pela granja experimental, na área de avicultura, alimentação, manejo, produção de pintinhos”.

Ainda profissionalmente, ele saiu da área privada quando passou em um concurso da antiga Funasa. Daí por diante foi chamado pela Secretaria de Educação do DF, para ser professor Zootecnista na Escola Agrícola. “Neste período eu concluí o meu mestrado e comecei a ministrar aulas em faculdades da região. Quando cursava o meu doutorado, tive que parar, já que recebi um convite para ser coordenador do curso de Zootecnia da UPIS, onde estou hoje”.

Guilherme José de Carvalho é um zootecnista que já tem uma longa trajetória, mostra que, com persistência e dedicação cada um pode alcançar os seus desejos, seja dentro ou fora de Brasília, já que a profissão oferece uma ampla área de atuação.

Assessoria de Comunicação Social do CRMV-DF