Neste mês do médico veterinário conversamos com o administrador e sócio do Centro Veterinário Pet Especialidades que junto a 4 médicos veterinários observa o mercado com perspectivas positivas para novos empreendimentos. Seus sócios são os médicos veterinários Dra Fernanda Ramos, Dr Leandro Prieto, Dr Richard Filgueiras e Dra Maria Cláudia Coutinho. O público da clínica são os tutores e também outros médicos veterinários que buscam ou indicam serviços especializados.

 Pet Especialidades

O administrador esclarece que ele e seus sócios conseguiram desenvolver um projeto que oferece opção tanto para os tutores quanto para outros profissionais médicos veterinários. "Acredito que este seja o nosso diferencial. Montamos uma estrutura para atender demandas específicas de exames e diagnósticos".

Para Fernando, que também é presidente do SindPetDF, comenta que o setor nos últimos anos passou por uma série de mudanças no que se refere ao regramento do meio, fator que fez com que a entidade diminuísse a intensidade de seu trabalho. Mas ele continua monitorando o mercado e traz informações importantes para quem está pensando em investir em um empreendimento na área Pet ou de serviços médicos veterinários. Segundo ele, a cada dez cães, seis não são atendidos pelo mercado pet, ou seja, o mercado hoje movimenta cerca de 40% de seu potencial, sobrando outros 60% a se desenvolver.

Na área de estética nem 20% dos cães são atendidos ainda. "Hoje 60% dos lares de Brasília possuem pet: cães e gatos destes, apenas 20% deles são atendidos. O mercado briga pelos clientes errados. Aqueles que ainda não usam os nossos serviços é quem devem ser buscados". Explica.

Outra oportunidade para os profissionais é a área de piscicultura e peixes ornamentais. Mundialmente falando, o setor é até 5 vezes maior que o de cães, com dominação dos Asiáticos, Europeus e Norteamericanos. No Brasil há um grande potencial para se desenvolver, mas a preferência ainda são os cães e gatos.

O executivo explica que o mercado pet é uma boa área para se investir, principalmente para o médico veterinário. "Ainda há espaço para investir e ganhar dinheiro." Ele afirma que o mercado ainda é mal atendido, mas não por falta de profissionais, mas sim de pessoas qualificadas, mas deixa claro que isso acontece em todas as profissões. "Eu defendo que nós ainda temos espaço para bons médicos veterinários" e deixa boas dicas: "primeiro: especialize-se, um bom profissional não custa pouco; segundo: o preço não é o diferencial mas sim o serviço realizado; e terceiro: use boas marcas".

Assessoria de Comunicação Social do CRMV-DF