Notícias

09.10.2015

O Tribunal Regional Federal da Primeira Região deferiu, na terça-feira (29.09), a imediata suspensão da greve dos funcionários do Conselho Regional de Medicina Veterinária do DF, sob pena de multa diária de R$ 50.000,00, a ser suportada pelo Sindicato dos Empregados em Conselhos e Ordens de Fiscalização Profissional e Entidades Coligadas e afins do DF (SINDECOF-DF). A relatora da petição, a desembargadora federal Gilda Sigmaringa ainda afirma que não há prejuízo de alteração desta decisão após manifestação do Sindicato réu, em obediência ao princípio do contraditório e ampla defesa.

Clique aqui e leia na íntegra a decisão do Tribunal Regional Federal da Primeira Região sobre a legalidade da greve dos servidores do CRMV-DF.

02.10.2015

Aconteceu nesta terça-feira (29) a comemoração do dia do Médico Veterinário pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária do  Distrito Federal. Cerca de 80 participantes, entre profissionais e estudantes estiveram presente no evento que  aconteceu do Batalhão da Guarda Presidencial no Setor Militar Urbano de Brasília.

Além da celebração e das  palestras, o evento contou com  uma área de stands destinada a empresas ligadas ao ramo da Medicina Veterinária, com a exposição de produtos, orientação sobre serviços  e sorteio de brindes promocionais, livros, cursos e uma diversidade de presentes.

A palestra sobre a Síndrome de Burnout na Medicina Veterinária, ministrada pelo Med. Vet. Lourenço Cotes, inaugurou o evento.   Cotes abordou a síndrome e as especificidades que envolvem a profissão do Médico Veterinário. Segundo ele, os Médicos Veterinários estão mais propensosa desafios psico-emocionais, principalmente pelo convívio com animais e seus tutores em sofrimento, entre outros fatores que  podem levar ao estresse crônico, as Síndromes de Burnout  e da Fadiga por Compaixão.

"A síndrome de Burnout é resultante da insatisfação geral e crônica com o ambiente de trabalho. É um estado de estresse contínuo, exaustão física e mental que se desenvolve lentamente. Esta síndrome está associada com alterações fisiológicas decorrentes do estresse. Já a Fadiga por Compaixão  refere-se à exaustão emocional com reflexos psicossomáticos decorrente do trabalho com indivíduos em sofrimento, do peso de se importar, do estresse de dispensar compaixão”, afirma.

A  melhoria da produtividade através de hábitos saudáveis foi o tema abordado pelo  médico homeopata , especialista em Estratégia Ortomolecula Dr. Ícaro Alcântara. O médico deu dicas de como incorporar hábitos saudáveis ao estilo de vida para que o bemestar  seja  um companheiro constante, influenciando diretamente na disposição e na produtividade profissional. Segundo ele, diversos sintomas  incomodos como tonturas e dores de cabeça, a fadiga excessiva e dificuladade para dormir podem ser tratados com uma mudança no estilo de vida.  Entre eles estão os hábitos elencados de beber água de 1 em 1 hora, dormir bem, livrar-se de excessos e intoxicações,  se alimentar bem evitando carne, gluten e leite e  com frequência, além de exercícios regulares de força e aeróbicos.

    

 

O Med. Vet. Rodrigo Fagundes finalizou o evento com palestra sobre os casos de sucesso do Projeto Dobutsu Zen que realiza acupuntura em animais de Zoológico. Fagundes explicou alguns princípiosde diagnósticos da medicina chinesa e detalhou  o tratamento  e acompanhamento de diversos animais recebidos pelo projeto. 

 

 ASCOM / CRMV-DF

 

2.08.2015

Em atenção à imprensa e à sociedade, em virtude de notícia veiculada na mídia sobre a possíveltransferência de animais do Zoológico de Brasília para santuário ecológico, em São Paulo, o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Distrito Federal vem esclarecer que:

Sobre a análise técnica da possível doação dos felinos do Zoológico de Brasília que será realizada por Comissão Técnica vinculada ao Comitê Interinstitucional de Política Distrital para os Animais (CIPDA), instituído pela Secretaria de Meio Ambiente do Governo de DF:

- O principal objetivo dessa análise é a garantia da saúde e bem-estar dos animais. Primeiramente, é necessário avaliar a condição de transporte e a possível situação de stress em que serão submetidos durante o tempo de viagem, já que se trata de animais silvestres, idosos e com patologias. Além disso, devem ser avaliadas as condições de adaptação desses animais que há décadas estão acostumados a um único local.

- Ressaltamos que do ponto de vista veterinário, a doação será positiva se for comprovado tecnicamente que o novo local possui condições de tratamento melhores do que recebem hoje no Zoológico de Brasília. Ainda, avaliar o bem-estar de um animal é ponderar sobre o histórico de vida desse animal, suas patologias e debilidades físicas e promover alimentação e tratamentos adequados a suas necessidades, entre diversas variáveis. O bem-estar animal não está relacionado apenas com o tamanho da área em que este animal vive, e sim à diversas variáveis contextualizadas ao histórico de vida de cada animal.

- Dessa forma, esclarecemos que a avaliação técnica sobre o bem-estar animal durante o transporte e a adaptação, assim como a avaliação sobre as condições sanitárias e veterinárias do Santuário dos Gnomos dizem respeito à preocupação primordial deste Comitê e do CRMV-DF que é zelar pela garantia do bem-estar desses animais.

 

Atenciosamente,

Conselho Regional de Medicina Veterinária do Distrito Federal

O profissional de Medicina Veterinária é fundamental para que a relação entre os humanos, animais e o ambiente onde vivem seja harmoniosa e saudável. A interdependência das saúdes humana, animal e ambiental é chamada de Saúde Única, um conceito global reconhecido por diversas organizações internacionais, como a Organização Mundial da Saúde (OMS).

A Saúde Única visapromover a cooperação e colaboração entre médicos veterinários e demais profissionais de saúde e meio ambiente para promover a saúde e o bem-estar de todas as espécies animais e vegetais.

A Campanha do Dia do Médico Veterinário 2015 dos Conselhos Federal e Regionais de Medicina Veterinária (Sistema CFMV/CRMVs), comemorado em 9 de setembro, adotou como tema a Saúde Única pensando na presença indispensável dos médicos veterinários nesse contexto.

São eles que inspecionam e avaliam todos os alimentos de origem animal que chegam à mesa do consumidor, cuidam da saúde e bem-estar dos animais domésticos e selvagens, atuam na manutenção e melhoria da qualidade da saúde pública e ainda desenvolvem estudos e pesquisas científicas em busca de novos produtos, vacinas, tratamentos e erradicação de doenças.

O Sistema CFMV/CRMVs defende a integração entre as diferentes áreas envolvidas na Saúde Única com o objetivo de formar profissionais capazes de atuar na saúde pública e de informar as pessoas sobre a importância de se preocupar com o tema.

Parabéns a todos os médicos veterinários do País! 

20.08.2015

A Comissão Técnica foi deliberada durante a primeira reunião extraordinária do Comitê Interinstitucional da Política Distrital para os Animais (CIPDA), nesta tarde (18), na Fundação Jardim Zoológico de Brasília. A reunião foi motivada por denúncia sobre o caso de dois felinos idosos, em condição de saúde debilitada que vivem em recintos de 70 m², restritos ao público. A Comissão Técnica, instituída pela Portaria Sema nº 50 de 20.08.2015, tem como objetivo o acompanhamento e avaliação do cumprimento das recomendações sobre as melhores condições de manutenção dos animais oferecidas pela instituição interessada na transferência.

A Comissão deve ser composta por médicos veterinários e será constituída por um membro da  Fundação Jardim Zoológico de Brasília;do  Conselho Regional de Medicina Veterinária do Distrito Federal (CRMV-DF); e, Associação Santuário Rancho dos Gnomos - ASERG.

Durante o encontro, foram apresentados relatórios de três vistorias realizadas na Fundação.  Segundo Luciana Bertini, titular da 4ª Promotoria de Defesa do Meio Ambiente e do Patrimônio Cultural, os biólogos do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios ficaram 30 dias no zoológico verificando o cumprimento da legislação ambiental, com foco nas denúncias de maus-tratos. Em nenhum momento foi encontrado indícios de maus tratos, afirma.

A Coordenadora Técnica do CRMV-DF, Simone Gonçalves contribuindo  com as recomendações veterinárias sobre a possível transferência

A Comissão Técnica deve auxiliar na decisão sobre a possível doação do leão e da onça-pintada à Associação Santuário Ecológico Rancho dos Gnomos, de São Paulo. O colegiado deve ser instituído por meio de portaria da fundação ou da Secretaria do Meio Ambiente.  O objetivo da Comissão é estudar detalhadamente as condições caso haja uma transferência, como foco na qualidade de vida e o bem-estar do animal.

Segundo o Secretário de Meio Ambiente do Distrito Federal André Lima, antes de ser tomada qualquer decisão, é necessário avaliar quesitos jurídicos, técnicos e veterinários, além de obter autorização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) para a transferência. "Não existe objeção do governo a uma doação do Dengo, desde que haja condições melhores de tratamento do que as que ele já recebe aqui. O objetivo é garantir que a viagem seja segura para o animal, que está com a idade avançada", afirma.

Os trabalhos da Comissão terão como subsídio uma série de levantamentos a serem feitos sobre a possível doação, tais como a condição do transporte, o risco da transferência à saúde dos animais e o ambiente que a associação dispuser para eles. Parte dessas demandas foi apontada pela Procuradoria-Geral do Distrito Federal, que emitiu a primeira análise jurídica sobre a situação. O órgão solicitou documentos que comprovem motivação clara para os bichos deixarem Brasília.

Participaram da reunião o subsecretário de Áreas Protegidas, Cerrado e Direitos de Animais, Rômulo Mello; o diretor-presidente e o diretor-adjunto da Fundação Jardim Zoológico de Brasília, José Vieira da Silva e João Suender, respectivamente; o representante da Procuradoria-Geral do DF, Gabriel Abbad Silveira; e o deputado federal Ricardo Izar (PSD-SP), presidente da comissão parlamentar de inquérito (CPI) criada para investigar casos de maus-tratos a animais no Brasil. Também estiveram presentes representantes do IBAMA, Ministério Público  e do  CRMV-DF, além do vice-governador do Distrito Federal, Renato Santana.

Fonte: Ascom/CRMV-DF com informação do Zoológico de Brasília