Notícias

Os cursos para Responsáveis Técnicos atuantes no Distrito Federal foram iniciados na última quarta-feira (29), com grande adesão de profissionais da cidade. O curso que apresentou temas técnicos e jurídicos possibilitou a discussão de assuntos que os profissionais enfrentam no dia a dia de trabalho, relações de trabalho, remuneração e responsabilidades. O encontro foi realizado no auditório da Assessoria Jurídica do CRMV-DF.

A diretoria executiva do CRMV-DF apresentou aos profissionais, na primeira palestra, as atribuições da entidade que é, além de fiscalizar, também orientar. “O Conselho tem, entre suas responsabilidades, orientar os profissionais, e a implantação do curso visa cumprir com mais esta obrigação” explicou o Secretário-Geral, Alexander Dornelles. Ele explicou os processos que o CRMV-DF vem sofrendo desde 2013, com o desenvolvimento do Mapa Estratégico que identifica necessidades e estabelece medidas para atendê-las a partir de ações. O objetivo é melhorar o atendimento que o Conselho oferece a sociedade e aos Médicos Veterinários e Zootecnistas do Distrito Federal, com a implantação do sistema de qualidade ISO 9001/2008.

Os Médicos Veterinários e Zootecnistas presentes participaram do debate proposto e levantaram questionamentos pertinentes ao dia a dia do profissional. Casos de RTs na área de Alimentos os principais pontos foram à questão da responsabilidade do profissional no caso de algum sinistro na empresa em que se presta serviço, o cumprimento de suas tarefas e da carga horária. Nas clínicas o principal revés é com relação aos procedimentos adotados pelo profissional, quando o RT não se encontra: A quem cabe responsabilização. Neste caso o Advogado Bruno Vasconcellos, da R & A Advogados Associados, simulou casos em que a responsabilidade é dada ao RT e outros casos ao profissional que fez o atendimento.

Os próximos cursos estão agendados para o dia 27 de novembro e 18 de dezembro. Ambos, pela manhã, conforme agenda abaixo. Os interessados devem ligar para se inscreverem nas turmas, que têm vagas limitadas.


Assessoria de Comunicação Social

30 de novembro de 2014

 

 

O exercício profissional da Medicina Veterinária e da Zootecnia, de excelência é uma preocupação constante do CRMV-DF. Pensando nisso, a entidade publicou a Resolução nº 07, de 26 de setembro de 2014 que institui o Seminário de Responsabilidade Técnica para Médicos Veterinários e Zootecnistas do Distrito Federal, instituindo-o como requisito obrigatório, para homologação e renovação das Anotações de Responsabilidade Técnica.

O objetivo do curso é cumprir uma das funções institucionais do conselho que é de orientar os profissionais quanto ao conjunto de normas regulamentadoras de responsabilidade técnica, código de ética e responsabilidade administrativas, civis e criminais, enfrentadas no cotidiano dos profissionais. As informações discutidas no seminário são de grande importância no dia a dia dos consultórios, clínicas e hospitais, além de auxiliar na relação de serviços prestados e seus clientes, como direitos e deveres de ambas as partes.

A resolução foi publicada no Diário Oficial da União, nº 197, da segunda-feira (13) de outubro de 2014, entra em vigor a partir de sua publicação.

Os seminários serão oferecidos mensalmente e o seu calendário será disponibilizado no sítio eletrônico do CRMV-DF www.crmvdf.org.br, além de serem divulgados pelo canal do Conselho, no facebook e previamente divulgado neste informativo.

Com o curso, o conselho acredita poder se aproximar dos profissionais, além de se fazer conhecer. Nos últimos anos a entidade vem desenvolvendo atividades, como cursos, seminários, palestras nas faculdades e órgãos de governo, além da inserção nas redes sociais. Para o próximo ano, novas atividades estão sendo planejadas para que essa aproximação seja aprimorada a cada dia.

Clique aqui e baixe a resolução.

Assessoria de Comunicação Social

13 de outubro de 2014

(61) 3223-5802

29 de agosto de 2014 - Você sabe as diferentes funções de um hospital, uma clínica e um consultório veterinário? A partir de agora, esta diferenciação ficará mais clara e o funcionamento de estabelecimentos veterinários será submetido a regras mais rígidas. Os novos critérios, estabelecidos na resolução 1015/2012 do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), entram em vigor em 15 de janeiro de 2015.

Segundo o presidente do CFMV, Benedito Fortes de Arruda, “o novo texto estabelece atualizações para acompanhar as mudanças do mercado, garantir melhores condições de atendimento aos animais, acompanhar o desenvolvimento tecnológico e a legislação sanitária”.

A resolução estabelece parâmetros de diferenciação dos estabelecimentos veterinários, determinando estrutura obrigatória para cada um deles. Os proprietários terão até o dia 15 de janeiro de 2015 para fazer as adequações, caso contrário estarão sujeitos a multa. Além disso, os médicos veterinários responsáveis poderão sofrer processo ético-profissional, caso não atendam às exigências.

Os Conselhos Regionais, órgãos responsáveis pela fiscalização nos estados, atuarão também para trazer mais profissionalização ao setor e apoiar os médicos veterinários que optam por montar um negócio próprio, seguindo os parâmetros da resolução.

O texto da resolução foi aprovado após um período de consulta pública, quando os médicos veterinários e a população em geral puderam contribuir com suas propostas, com um total de 115 manifestações.

 

Para ler resolução completa, clique aqui.

Confira as diferenças entre os estabelecimentos veterinários:

Hospitais Veterinários são estabelecimentos capazes de assegurar as instâncias médicas curativa e preventiva aos animais, com atendimento ao público em período integral (24 horas), com a presença permanente e sob a responsabilidade técnica de médico veterinário.

Clínicas Veterinárias são estabelecimentos destinados ao atendimento de animais para consultas e tratamentos clínico-cirúrgicos, podendo ou não ter internações, sob a responsabilidade técnica e presença de médico veterinário

Clínicas Veterinárias Especializadas são estabelecimentos destinados a prestar atendimento integral em uma especialidade de Medicina Veterinária.

Consultórios Veterinários são estabelecimentos de propriedade de médico veterinário destinados ao ato básico de consulta clínica, curativos e vacináveis de animais, sendo vedadas a realização de procedimentos anestésicos e/ou cirúrgicos e a internação.

Unidade de Transporte e Remoção é o veículo destinado unicamente à remoção de animais que não necesportalm de atendimento de urgência ou emergência. Sua utilização dispensa a necessidade da presença de um médico veterinário.

Ambulância Veterinária é o veículo identificado como tal, cujos equipamentos, utilizados obrigatoriamente por um profissional médico veterinário, permitam a aplicação de medidas de suporte básico ou avançado de vida, destinadas a estabilização e transporte de doentes que necesportalm de atendimento de urgência ou emergência.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do CFMV

1º de setembro de 2014

 

II COBRA supera expectativas de congressistas e organizadores

O segundo Congresso Brasiliense de Clínicos de Pequenos Animais – II COBRA, realizado pela Associação Nacional de Clínicos de Pequenos Animais do Distrito Federal, Anclivepa-DF, reuniu cerca de 250 congressistas, com uma programação de 76 palestras, além de expositores de produtos afins a medicina veterinária. O evento,realizado na Legião da Boa Vontade (LBV), nos dias 4, 5 e 6 de setembro, agregou a sua programação o I Simpósio de transplante em Medicina Veterinária, pioneiro na capital federal. O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Distrito Federal –CRMV-DF e Sebrae DF apoiaram a realização do congresso.

Médicos Veterinários atuantes compareceram no Parlamundi da LBV em busca de atualização profissional.Natássia Miranda de Oliveira, profissional atuante na cidade gostou do evento e recomenda aos colegas. “Gostei das palestras e dos palestrantes. Na realidade o evento foi melhor do que eu esperava. Todas as palestras foram interessantes, inclusive algumas que não me interessavam. Acho importante ter este tipo de evento para saber as novidades em tratamento e nas pesquisas.” Avaliou a médica veterinária que não é associada àAnclivepa-DF, mas que pretende se associar, segundo ela firmou.

Para quem pensa que o congresso foi apenas para Médicos Veterinários, enganam-se. Grande parte dos congressistas foramde estudantes. A maioria deles vê o evento como oportunidade de conhecer futuros colegas de trabalho, estabelecer uma rede de contatos e absorver conhecimento técnico para a vida profissional. Isabela Maria de Sousa Costa gostou das palestras e dos palestrantes, e pontuou o que gostou mais. “Gostei da atualização. Eu vi que eles (os palestrantes) trouxeram artigos atualizados, muitos casos clínicos que eles pegam no dia-a-dia. É muito importante essa troca de ideia.” Destacou a estudante que lamentou não poder assistir todas as palestras, devido a compromissos pessoais.

Na área de circulação foram apresentados Banners com 32 trabalhos de pesquisa, previamente selecionados pela comissão organizadora do evento que serão divulgados no Jornal Brasileiro de Ciência Animal JBCA.

Em balanço o presidente da Anclivepa-DF, Médico Veterinário Marcello Roza, o evento supriu as expectativas da organização. “Nosso objetivo foi atingido, a quantidade de inscritos mais que dobrou. Nós conseguimos realizar uma feira e o nível do congresso foi altíssimo com palestras elogiadas por todos os presentes.” Declarou Marcello destacando a coesão da diretoria da associação que contribuiu intensamente para a realização do congresso.

Marcello Roza também destacou a realização do I Simpósio de Transplantes em Medicina Veterinária, evento pioneiro na cidade. “Esperamos fazer outras edições, dentro do COBRA ou separadamente, mas o importante é que foi dado o pontapé inicial para se discutir esse tema na medicina veterinária. Ele contou com professores renomados da área de medicina veterinária e da medicina que se reuniram por um dia inteiro para descobrir quais são as perspectivas para este tipo de tratamento entre os animais”. Explicou o presidente da Anclivepa-DF.

O evento reuniu mais de 250 inscritos entre estudantes e médicos veterinários profissionais atuantes, 40 palestrantes, 76 palestras, 10 empresas ocuparam estandes na feira que ofertava livros, material de trabalho em clínicas e em pet shops, rações e medicamentos.O I COBRA, realizado em 2013 recebeu 116 congressistas, também foram apresentados trabalhos científicos, com palestras em três auditórios, porém não tinha a feira de expositores de artigos afins a medicina veterinária.

Assessoria de Comunicação Social – CRMV-DF

8 de setembro de 2014

(61) 9667-5363

 

 
 
 
A presidente de CRMV-DF, Dra Simone Bandeira participou da cerimônia de colação de grau dos alunos de Medicina Veterinária e Zootecnia da União Pioneira de Integração Social –UPIS, na quinta-feira 21 de agosto, no Clube do Exército. Eventos de colação de grau são oportunidades de estreitar o contato entre profissionais e entidade, com a possibilidade de entender melhor seus anseios, desde os seus primeiros momentos de atuação.

 Na ocasião, o Conselho se fez presente a mesa diretora, com a oportunidade dirigir a palavra aos alunos que tem um “mundo novo” a encarar pela frente e ofereceu o CRMV-DF como uma casa, para os novos profissionais, além de explicar, de maneira sucinta o esforço desta entidade em atender seus profissionais. “Temos como dever, orientar cada um, sobre quais as condições regimentais e legais para se assumir responsabilidades em seu ambiente de trabalho. Para isso, temos trabalhado com afinco na produção de atividades que ofereça continuidade a formação profissional, apoiando congressos, simpósios, além de produzir eventos de formação e orientação.” Discursou a presidente do CRMV-DF.

A formanda, Ana Beatriz Nobrega dos Santos, do curso de Medicina Veterinária, acredita que existe espaço no mercado de trabalho para quem busca formação. “Basta a pessoa se esforçar bastante, estudar, ser um bom profissional. Acho que tem espaço para todo mundo”, declarou a Ana, que pretende trabalhar com animais de grande porte. Já Anderson Eugênio Ferreira, formando do curso de Zootecnia também tem expectativas positivas para o próximo passo de sua vida, que é iniciar o trabalho em sua área de formação. “Eu fico muito por chegar até aqui (concluindo o curso), desejo que os meus colegas também conquistem o seu espaço.” Afirmou Anderson, que já tem propostas de trabalho.
Os coordenadores dos cursos, Médica Veterinária, Marília Viviane Snel de Oliveira e o Zootecnista Guilherme José de Carvalho defenderam em seus discursos o esforço dos alunos que, a partir de agora são profissionais formados e com formação sólida para oferecer a sociedade o que tem de melhor.
Hoje, o Distrito Federal conta com 1957 Médicos Veterinários registrados como atuantes, 151 Zootenistas registrados como atuantes e 1389 empresas registradas nos dois segmentos profissionais.
 
Assessoria de Comunicação Social – CRMV-DF
22 de agosto de 2014