Notícias

Os auditores fiscais do Ministério Pecuária e Abastecimento (Mapa) já inspecionaram 147 dos 233 cavalos procedentes do exterior para participar dos Jogos Olímpicos, no Rio de Janeiro.
  
No Aeroporto do Galeão, 24 fiscais se revezam no trabalho de checar se os animais têm passaporte equino e o Certificado Veterinário Internacional. O trabalho também inclui exames clínicos e a verificação das cargas que acompanham os cavalos, como medicamentos veterinários e alimentos, além de equipamentos como arreios, selas, escovas e até xampu. Essa equipe ainda fiscaliza as bagagens trazidas pelas delegações e turistas.
 
“Até agora, toda a operação transcorreu dentro da normalidade, sem atrasos”, diz o chefe da Divisão de Sanidade dos Equídeos do Mapa, Alberto Gomes. Em relação aos animais, todos estavam com a documentação regular e em bom estado clínico.
 
Para cada veículo que conduz os animais até o Centro Olímpico de Hipismo (COH), no Complexo Militar de Deodoro, os auditores fiscais estão emitindo a Guia de Trânsito Animal (GTA). Eles também acompanham o trajeto até o COH, que é feito em veículos lacrados, numa rota pré-estabelecida. Na chegada ao local das competições, outra equipe de Mapa acompanha a retirada do lacre dos veículos e confere novamente a documentação de cada animal.

Depois disso, os equinos passam para a responsabilidade da Rio 2016, que segue um plano de biosseguridade. Mas os auditores fiscais do Mapa continuam atuando. “Durante todo o período das Olimpíadas, vamos supervisionar os animais e as instalações”, assinala Alberto Gomes. Para isso, o Mapa montou uma estação de trabalho no COH, que conta com 18 fiscais em esquema de revezamento.
 
Todos os voos que chegam ao Rio com os cavalos do exterior são provenientes das cidades de Stansted (Reino Unido), Montevidéu (Uruguai), Liège (Bélgica), Nova York e Miami (Estados Unidos).
 
Dos nove voos previstos, sete já chegaram ao Brasil. Os restantes estão programados para sábado (6) e domingo (7). As provas equestres dos Jogos Olímpicos são de adestramento, concurso completo de equitação e salto.


A equipe brasileira é formada por 16 cavalos, sendo que 15 deles vivem em outros países e chegaram agora para a Rio 2016. Apenas um animal é criado no Brasil. Ele já foi vistoriado pelos auditores fiscais e está na área do COH.

 

Fonte: Ministério da Agricultura

 

 

Quem quiser desenvolver trabalhos voluntários na área ambiental pode participar de atividades ligadas à Secretaria do Meio Ambiente do DF. A decisão e todos os requisitos estão descritos em portaria publicada nesta sexta-feira (5) no Diário Oficial do Distrito Federal.

Os candidatos poderão, por exemplo, apoiar programas como o Brasília Solar e o Brasília nos Parques e contribuir com a elaboração do Zoneamento Ecológico-Econômico. “Há também ações na área de água e de clima, de preservação do Cerrado, assessoria jurídica e educação ambiental”, enumera a subsecretária de Administração Geral da Secretaria do Meio Ambiente, Nazaré Lima.

Para participar, é preciso ter no mínimo 16 anos. As vagas poderão ser preenchidas por pessoas de qualquer formação acadêmica ou qualquer área de interesse. Os voluntários serão capacitados para as funções.

“Vamos avaliar, por meio de entrevista, como podemos encaixar aquela pessoa de acordo com a área de interesse”, explica a subsecretária. Os participantes devem comparecer à Secretaria do Meio Ambiente ou entrar no portal da pasta para conhecer melhor o trabalho das subsecretarias. O serviço não caracteriza qualquer vínculo empregatício com a secretaria.

Para participar, os candidatos devem apresentar cópias da carteira de identidade e do CPF, foto 3×4, comprovante de residência e currículo resumido, além de formulários devidamente preenchidos. A supervisão do trabalho exercido pelo voluntário ficará a cargo dos subsecretários e dos chefes de unidades estratégicas, de gabinete, das assessorias jurídica ou de comunicação.

As informações ligadas à pasta do Meio Ambiente estarão disponíveis no portal da secretaria e no Portal do Voluntariado, plataforma desenvolvida pelo governo de Brasília para cruzar informações de quem tem vontade de colaborar em atividades sociais com as de organizações (governamentais ou não) que desenvolvem esse tipo de trabalho.

Serviço: Secretaria do Meio Ambiente - 511 Norte, Bloco C, Edifício Bittar - Das 8 às 18 horas - (61) 3214-5602

Fonte: Agência Brasília

Você também pode indicar até o dia 30 de julho um nome para concorrer ao Prêmio Professor Octávio Domingues, honraria destinada anualmente a zootecnistas brasileiros que tenham realizado serviços relevantes para o desenvolvimento agropecuário no país. Saiba mais: http://bit.ly/29cyRYo

 

O CFMV recebe até 30 de julho as indicações para o Prêmio Professor Paulo Dacorso Filho. A homenagem é prestada anualmente pelo CFMV a médicos veterinários brasileiros que tenham realizado relevantes serviços à ciência veterinária e ao desenvolvimento agropecuário do país. Saiba mais: http://bit.ly/29bb36g

A 25ª edição do Código Sanitário para Animais Terrestres da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) trata da qualidade dos serviços veterinários, das recomendações gerais para a prevenção e o controle de enfermidades e do diagnóstico, da fiscalização e das notificações de doenças animais. Veja mais em: http://bit.ly/29avBe3