O Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis do @minsaude, em resposta ao CFMV, confirma que “os médicos-veterinários atuam em diversas frentes e estão inseridos nas clínicas, hospitais, defesa sanitária, desempenhando atividades que vão desde a gestão até a vigilância de zoonoses, vigilância ambiental em saúde, epidemiológica e sanitária, o que os torna mais suscetíveis à doença”.

O Ministério informa também que será feito um escalonamento dos grupos prioritários para vacinação, conforme a disponibilidade das doses de vacina, sendo facultado a estados e municípios a possibilidade de adequar a priorização de acordo com a realidade local. Dessa forma, para a primeira fase de imunização, que tem seis milhões de vacinas disponíveis, sendo necessárias duas doses para completar o esquema vacinal, o ministério priorizou os grupos segundo os critérios de exposição à infecção e de maiores riscos para agravamento e óbito pela doença. A recomendação é que os primeiros a receber a vacina sejam os profissionais da saúde da linha de frente, ou seja, os que trabalham em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), prontos-socorros, ambulâncias, hospitais referenciados para a covid-19, bem como equipes de vacinação que irão imunizar a população e os trabalhadores de instituições de acolhimento de idosos e jovens e adultos com deficiência. Em seguida, serão vacinados os demais trabalhadores de saúde.

O ministério solicitou que todos os postos dos municípios, estados e do Distrito Federal disponibilizem a vacina e orienta que, para ter direito, basta o médico-veterinário apresentar sua carteira de identidade profissional.

No Distrito Federal o Secretário de Estado de Saúde, Osnei Okumoto públicou um vídeo, no Instagram do órgão, explicando sobre o início da campanha de vacinação. Você poderá acessar a imagem pelo link aqui:

Inicialmente serão imunizados trabalhadores da saúde que estão no enfrentamento ao coronavírus, idosos e deficientes institucionalizados (albergues, asilos, entre outros) e cuidadores que atuam nessas instituições, além de indígenas.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Social do CFMV com informações do CRMV-DF  e Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal.

19  de janeiro de 2021