É de conhecimento de todos que a Zootecnia foi criada em 1849, pelo jovem naturalista Émile Baudement. De lá para cá a Zootecnia vem crescendo a passos largos, e existe em mais de 60 países. Atualmente existem no Brasil 107 cursos de Zootecnia regulamentados pelo Ministério da Educação, estando presente em todas as regiões brasileiras.

De acordo com o Prof. Otávio Domingues, patrono da Zootecnia Brasileira, Zootecnia é a ciência aplicada que estuda e aperfeiçoa os meios de promover a adaptação econômica do animal ao ambiente criatório, e deste àquele.

Disse o Patrono da Zootecnia brasileira: “... Para o Zootecnista brasileiro, ela não é apenas “a ciência da produção e da exploração das máquinas vivas”.

As premissas históricas e de ação profissional já estão inseridas no contexto regulamentar e de avaliação vigentes dos cursos superiores de Zootecnia e partiram tanto da evolução própria da Zootecnia como Ciência e Profissão como do pressuposto legal conferido pela Lei 5.550 de 04 de dezembro de 1968, que institui e regulamenta a profissão de Zootecnista rezando em seu artigo Art. 3º que são privativas dos profissionais mencionados no art. 2º desta Lei as seguintes atividades:

a) Planejar, dirigir e realizar pesquisas que visem a informar e a orientar a criação dos animais domésticos em todos os seus ramos e aspectos.

b) Promover e aplicar medidas de fomento à produção dos mesmos instituindo ou adotando os processos e regimes, genéticos e alimentares, que se revelarem mais indicados ao aprimoramento das diversas espécies e raças, inclusive com o condicionamento de sua melhor adaptação ao meio ambiente, com vistas aos objetivos de sua criação e ao destino dos seus produtos.

c) Exercer a supervisão técnica das exposições oficiais e a que eles concorrem, bem como a das estações experimentais destinadas à sua criação.

d) Participar dos exames a que os mesmos hajam de ser submetidos, para o efeito de sua inscrição nas Sociedades de Registro Genealógico.

Logo, é fácil perceber que nós ZOOTECNISTAS, trabalhamos com fatores que integram as leis da reprodução, da genética e da hereditariedade.

Estabelecemos critérios de avaliação da qualidade dos animais de acordo com a forma, dimensões, peso, características fisiológicas e produtividade, adaptabilidade e fixação da idade em que se espera o aproveitamento máximo do animal, sem esquecer, entretanto, o bem-estar destes.

Selecionamos matrizes e reprodutores e decidimos sobre sistemas de acasalamentos e cruzamentos.

Nos preocupamos com a adequação dos fatores ambientais que possibilitam maior e melhor desenvolvimento do animal.

Potencializamos a produção de alimentos seguros como carne, leite e ovos. Adotando boas práticas, com relação à alimentação, nutrição, promoção à saúde e abate dos animais. Bem como a estruturação de sistemas de pastejo sustentáveis, focando na relação solo x planta x animal.

Administramos, planejamos e organizamos fazendas e instalações rurais destinadas à produção animal.

Ao completar 50 anos da regulamentação da profissão de Zootecnista, observa-se que este profissional assumiu uma importante função no desenvolvimento sócio-econômico do Brasil. Tendo em vista que a produção animal tem forte participação no Agronegócio Brasileiro, gerando receitas e empregabilidade no meio rural.

A Zootecnia cresceu e continuará crescendo, obviamente não é a única protagonista do desenvolvimento do país, mas, sem sombra de dúvidas destaca-se pela sua importância no âmbito da produção de alimentos seguros e consequente fortalecimento da segurança alimentar.

O CRMV-DF reconhece este importante profissional e parabeniza-o pelos 50 anos de regulamentação profissional e pelo seu dia.

 

 Médico Veterinário Laurício Monteiro da Cruz

Presidente do CRMV-DF

Zootecnista Emanoel Elzo Leal de Barros

Tesoureiro do CRMV-DF

Parabéns Zootecnistas!